segunda-feira, 26 de junho de 2017

Sustos ontem em Badajoz

Ousadia e arrojo. Mas a coisa não correu bem. Carlos Domínguez foi colhido
quando recebia o seu novilho de joelhos em terra à porta da gaiola
O mexicano Arturo Gilio foi aparatosamente colhido quando recebia de capote
o último novilho de Zalduendo ontem em Badajoz


Sustos ontem na Monumental de Badajoz no decorrer da novilhada sem picadores que encerrou a Feira de San Juan. Nas fotos de Maria João Mil-Homens, os momentos das colhidas do espanhol Carlos Domínguez, quando recebia o seu novilho de Zalduendo com uma "larga afarolada" à porta da gaiola; e do mexicano Arturo Gilio quando toureava de capote o seu novilho.
Foram apenas sustos - felizmente. Os dois toureiros prosseguiram as suas lides sem ter sofrido quaisquer lesões.
Antes assim.

Fotos Maria Mil-Homens


Alejandro Adame em ombros na novilhada de ontem em Badajoz

Os mexicanos Alejandro Adame (duas orelhas e saída em ombros, na foto) e
Héctor Gutiérrez, que cortou uma orelha, estiveram ontem superiores aos
espanhóis na novilhada sem picadores que encerrou a sonsa Feira de Badajoz
Abriu praça o mexicano Héctor Gutiérrez, que cortou uma orelha
António Pintiado (espanhol) recebeu ovação no final da sua faena
Alejandro Adame cortou duas orelhas e deu volta com o maioral de Zalduendo
O espanhol Carlos Domínguez foi ovacionado
Ismael Jiménez (espanhol) bandarilhou e toureou com arte, foi ovacionado.
Em baixo, o mexicano Arturo Gilio, que foi silenciado


O mexicano Alejandro Adame (duas orelhas) sagrou-se ontem triunfador absoluto da novilhada sem picadores que encerrou a Feira de Badajoz, um ciclo que decorreu em ritmo sonso e com pouco público e que fica algo aquém do que se esparava no ano em que se comemora o 50º aniversário da inauguração da Monumental.
Supostas imposições da Fusión Internacional por la Tauromaquia, a FIT dos mexicanos, pode ter ditado este fracasso que em nada correspondeu aos habituais levados a cabo por José Cutiño. As duas melhores corridas tiveram lugar em dias de semana, o cartel da data forte, o dia de S. João (mano-a-mano Adame/Garrido) não registou mais que um quarto de casa, faltou a corrida de rejoneio, faltaram figuras que se impunha estarem presentes, nomeadamente António Ferrera (toureiro da terra e triunfador de Sevilha), Miguel Ángel Perera e "El Juli" - e todos esses equívocos terão contribuído em decisivo para que o público não acorresse às bancadas da Monumental de Badajoz.
Além do triunfador Alejandro Adame, num cartel composto por três novilheiros espanhóis e três mexicanos, actuaram ontem Héctor Gutiérrez, mexicano (orelha), António Pintiato, espanhol (ovação), Carlos Domínguez, espanhol (ovação), Ismael Jiménez, espanhol (ovação) e Arturo Gilio, mexicano (silêncio). Lidaram-se novilhos de Zalduendo, tendo o terceiro, de nome "Embustero", lidado por Adame, sido premiado com volta ao ruedo.
Menos de um quarto das bancadas preenchidas em tarde amena e de agradável temperatura, sem o calor exagerado que se costuma sentir por estas alturas em Badajoz. Ou seja, até o tempo mudou...

Fotos Maria Mil-Homens



Toiros de Verdade! Os 6 imponentes exemplares de Veiga Teixeira para esta 5ª feira no Campo Pequeno



Muito trapio, imensa cara e a imponência típica da afamada e séria ganadaria - são estes os toiros de Veiga Teixeira para a grande corrida do jornal "O Mirante" na próxima quinta-feira, dia 29, no Campo Pequeno. Toiros de verdade. "Metem medo ao susto"!
O cartel é formado pelos cavaleiros Manuel Jorge de Oliveira (retirado e que regressa por uma noite às arenas para doutorar o seu pupilo Parreirita Cigano e em simultâneo comemorar os seus 40 anos de alternativa, recebida nesta mesma praça), Rui Salvador, Ana Batista, João Maria Branco, o colombiano Jacobo Botero e Parreirita Cigano, que toma a alternativa.
Dos seis, o cavaleiro que sair triunfador entra no cartel da próxima corrida de Lisboa, a 6 de Julho, em que estão já anunciados os matadores "El Fandi" e Juan del Álamo (triunfador de Madrid), os Forcados do Aposento da Moita e um curro de toiros de Falé Filipe.
Nas pegas, esta quinta-feira, vão estar três dos nossos bons grupos de forcados: os do Ribatejo, os Amadores da Chamusca e os do Aposento da Chamusca, respectivamente comandados por Pedro Espinheira, Nuno Marecos e Pedro Coelho dos Reis.

Fotos Frederico Henriques/@Campo Pequeno

Pablo Hermoso esta 6ª feira em Évora: "É sempre um peso tourear ao lado de Moura, o meu mestre!"

Único! Pablo Hermoso toureia esta 6ª feira em Évora com Moura e João Telles
Pablo Hermoso com o director do "Farpas"


Depois de uma lesão o ter impedido de actuar no Campo Pequeno no passado mês de Maio, Pablo Hermoso de Mendoza faz na sexta-feira em Évora, na tradicional corrida de S. Pedro, a sua apresentação na temporada portuguesa. A escassos dias do regresso ao nosso país, o rejoneador navarro falou ao “Farpas” das expectativas para a essa grande corrida, do peso de competir com o seu mestre, João Moura, e do entusiasmo de alternar com João Telles, um jovem que tem feito, considera, “grandes progressos nos últimos anos”. Admira a arte dos Forcados e acredita que os toiros de Passanha sairão “como todos desejamos” e a proporcionar um grande espectáculo ao público.

Entrevista de Miguel Alvarenga

- Depois de uma lesão que impediu a apresentação em Lisboa no passado mês de Maio, regressa a Portugal nesta temporada actuando na próxima sexta-feira, dia 30, em Évora. Que expectativas, Pablo?
- Senti muito não poder estar em Lisboa, sobretudo numa data tão importante como a segunda corrida da temporada do 125º aniversário da praça. É sempre um gosto actuar nessa catedral e ainda mais numa data como essa. De qualquer forma, já estou totalmente recuperado e iniciarei a minha temporada em Portugal na próxima sexta-feira em Évora, uma praça onde no ano passado me encontrei muito a gosto e onde senti o calor de um público entendido e aficionado, com o qual levava mais de quinze anos sem me juntar.
- A competição com o Maestro João Moura e o jovem João Ribeiro Telles representa um desafio?
- Tourear com Moura é para mim sempre um prazer, desfruto da sua tauromaquia em cada momento da lide e a mim, todavia, continua a pesar imenso tourear com o que considero o meu mestre. O jovem Telles está a mostrar uma grande progressão nestes últimos anos e vê-se que só lhe falta sorte em que o ponham em cartéis importantes porque estou certo que as as oportunidades que lhe dêm, ele saberá aproveitá-las.
- Na corrida desta sexta em Évora, despede-se António Alfacinha, cabo dos Forcados de Évora. Como vê os forcados, Pablo, dignos representantes de uma arte tão portuguesa?
- Com admiração pelo valor que têm e sobretudo com admiração pela força que têm em continuar com as tradições, que em muitos casos são familiares. É admirável que um labor de tanto risco seja executado praticamente por aficion e além do mais conseguiram que a sua arte e a sua actividade sejam uma referência incontornável da cultura portuguesa.
- Que espera dos toiros da ganadaria Passanha?
- Espero que se movam e que dêm bom jogo para que o público se possa divertir e desfrutar. É uma ganadaria com a que tenho triunfado e desfrutado em várias ocasiões e espero que em Évora saia o melhor dela.
- Em Portugal começam a ouvir-se protestos aos toiros de encaste Murube pela falta de emoção que transmitem…
- Se os toiros sairem como todos desejamos, ninguém protestará, estou seguro!
- O que podemos esperar de Pablo Hermoso de Mendoza na próxima sexta-feira em Évora?
- Pode-se esperar por um toureiro a cavalo que vai tratar de dar tudo por tudo, como sempre que actua em Portugal. Tratarei de executar o toureio de que se gosta neste país, onde prima o momento da sorte e da reunião. Espero poder fazê-lo para que o público desfrute com o meu toureio.
- Quantas mais corridas em Portugal este ano, Pablo?
- De momento, nesta primeira parte da temporada, além de Évora, estou anunciado em Lisboa numa corrida que me ilusiona muito, a 13 de Julho, “mano-a-mano” com José Maria Manzanares. Logo, espero estar na segunda parte da temporada em Lisboa novamente e estão-nos a contactar de outras três praças, mas não gosto de adiantar nomes porque isso é coisa dos empresários e hão-de fazê-lo assim que acharem conveniente.

Fotos Juan Andrés H. Mendoza/Farpas e D.R.

Famosos no sábado na 3ª corrida da Feira de Badajoz

José Garrido
Joselito Adame
António Barrera, antigo matador de toiros, homem forte da FIT, com Joselito Adame
José Garrido com o empresário José Cutiño
Joaquim Carvalho, o "Senhor Vila Boim"
João Nunes Patinhas e seu filho Bernardo
Joana Mil-Homens
"El Juli", um dos grandes ausentes da Feira de Badajoz, assistiu no sábado ao
mano-a-mano entre Joselito Adame e José Garrido
O novilheiro e ganadero João Augusto Moura e sua Mulher
"A ver a Banda passar, cantando coisas de amor..."
Dr. Carlos Franco, médico cirurgião da Monumental
de Badajoz
A nossa companheira de trabalho Maria João Mil-Homens com Joselito Adame...
... e com Hugo Calado, director do site toureio.pt

Fotos Maria Mil-Homens